Sustentabilidade

"A diferença entre o homem e a máquina é que para o homem existe um talvez"
Mário Quintana


Primeiro precisamos desmitificar o tema, sustentabilidade nem sempre tem a ver com ações ambientais. O termo sustentabilidade é muito amplo. Podemos afirmar que a sustentabilidade começa com a gestão, gestão de processos e atividades dentro de uma empresa visando à assertividade O termo assertividade resume a eficiência e a eficácia de um processo, em outras palavras o produto ou serviço atendendo a vários requisitos: economicidade, ambiente de trabalho, impactos sociais, impactos ambientais, geração de resíduos, etc.
Em primeiro lugar, é importante detectar que sustentabilidade não é só cuidar do meio ambiente. O ponto de partida é entender o que é sustentabilidade para a sua empresa. Sustentabilidade deve fazer parte da estratégia de planejamento do negócio. O maior problema é que não há uma receita definitiva para a sustentabilidade. O difícil é saber qual o foco e a necessidade do negócio, e para cada um é diferente.
As empresas têm muito que caminhar na educação e na conscientização dos empregados. Esta é uma ação sustentável. Primeiro: quando você trata de sustentabilidade nas empresas você está eliminando os riscos. Por exemplo, políticas sociais são ações de sustentabilidade. Você está reduzindo o risco de processos trabalhistas, cíveis e criminais.
Sustentabilidade tem que ser encarado como uma gestão de risco. Uma pequena empresa pode quebrar com um processo de assédio moral. Uma política de tratar melhor os seus empregados de forma mais ética e menos discriminatória evitaria este fato. Isso também é sustentabilidade.
Com velocidade intensa vem se disseminando a tendência do consumo de produtos e serviços consciente e isto leva as empresas a discutirem, substancialmente, qual é o seu papel nesta nova fase histórica.

Quando falamos de sustentabilidade em uma empresa seja ela de fornecimento de serviços ou produtos, temos que parte da riqueza gerada pelas atividades econômicas deve ser distribuída à comunidade onde ela se insere, tornando-se co-responsável pelo seu desenvolvimento econômico e social. Os salários pagos, os investimentos com a formação profissional dos empregados, os impostos pagos ao governo, a renda paga ao investidor de capital, ao lado das condições de higiene e segurança do trabalho, do combate à poluição e proteção ao meio ambiente, são alguns aspectos de como as empresas atuam e influenciam diversos segmentos da sociedade.
Em função dessa nova visão do mundo empresarial, surge a necessidade de demonstrar à sociedade como a empresa encara as suas responsabilidades públicas. Para isto é preciso que se tenham instrumentos de prestação de contas demonstrando seus gastos e seus comprometimentos com o bem-estar coletivo.

O balanço social apresenta-se como um dos mais eficientes instrumentos de prestação de contas. Atualmente ele tem a função de marketing corporativo, porém caminha para que se transforme em obrigação legal, pois é um convite à transparência. Tal procedimento redefine, inclusive, o conceito de propaganda, pois ao invés de apresentar produtos e serviços, divulga as ações cidadãs da empresa.
Implementar algum tipo de tecnologia verde, como reuso de água, por exemplo, traz ganhos enormes na cadeia de produção da empresa. Para as pequenas e médias empresas, algumas ações têm impacto direto na redução do gasto. Isso sem mencionar que a empresa ganha em imagem positiva com os clientes, isso muitas vezes pode ser um argumento de venda muito forte. Hoje quando se fala em sustentabilidade o que se vê são ações de marketing voltadas essencialmente para o meio ambiente com o principal objetivo de melhorar a imagem de quem as executa. Isso não é sustentabilidade.

Proposta de ações Sustentáveis:



Treinamento e Conscientização com foco na excelência – “Coach”: Empregados treinados e capacitados (a competência, conscientização e o treinamento é a base para um bom desempenho profissional, desta forma o empregado que realiza um serviço ou a produção de um bem sabe da importância da sua atividade e da relação que existe entre o serviço realizado e o ambiente de trabalho/produção);

Gestão baseada na qualidade:

Tratamento abrangente das RELAÇÕES comprometidas na atividade empresarial, com os empregados, os fornecedores, os consumidores, a comunidade, a sociedade e o meio ambiente (Gestão Sustentável). “Quando vemos o mundo como uma máquina, CONTROLE é a forma apropriada de administrá-lo. Mas ao considerarmos o mundo como um sistema VIVO, a melhor forma de nele conviver não é pela busca de seu controle,mas sim por PARTICIPAÇÃO, DIÁLOGO E COOPERAÇÃO.” Fritjof Capra

De Produto/Serviços a relacionamentos.



Redução:

Ações visando à redução do consumo de materiais e insumos no processo de prestação de serviços ou realização do produto (a redução é o primeiro passo para a reciclagem, muitas vezes em pequenas e médias empresas torna-se difícil a implantação de coleta seletiva pois o município não tem implantado uma gestão ambiental);

Insumos verdes:

A aquisição de materiais recicláveis ou com o selo verde (hoje existe no mercado uma variedade de produtos com o selo verde, materiais diversos de escritório, equipamentos que consomem menos energia,


BIBLIOGRAFIA

KROETZ, C. E. Stevens. Balanço Social. Teoria e prática. São Paulo: Editora Atlas, 2000.

RIBEIRO, M. de S. e LISBOA, L. P. Balanço Social. Revista Brasileira de Contabilidade nº 115, jan/fev 99 - Ano XXVIII, p: 72-81.